Doom Patrol: Diane Guerrero fala sobre as personalidades de Crazy Jane

  • por Minha Série em 16/04/2019 - 10:00

Se você vem acompanhando a nova série da DC, Doom Patrol, sabe que se trata de um grupo nada convencional de super-heróis. Entre eles estão figuras curiosas, como um ex-piloto de corrida que tem seu cérebro implantado em um robô, uma mulher capaz de esticar seus membros após ser exposta a um líquido tóxico e uma mulher que tem múltiplas personalidades, cada uma com um superpoder.

Essa é Kay Challis, mais conhecida como Crazy Jane, membro da Doom Patrol que precisa lidar com 64 personalidades. Challis é vivida por Diane Guerrero, mais conhecida por interpretar as personagens Maritza, em Orange is the New Black, e Lina, em Jane the Virgin.

Reprodução/DC Universe

Guerrero conversou com a revista Entertainment Weekly sobre os desafios de viver uma personagem como Crazy Jane: “Desde o início, trabalhei com o meu técnico de atuação para desmembrar cada personalidade através do movimento, pensando em por que ela precisa delas e quais são suas principais características. Depois que meu corpo chega a esse espaço, o resto flui”, explicou. “Carrego um caderno com basicamente todas as personalidades; quando uma aparece no roteiro, posso referenciar as minhas anotações.”.

Recentemente, Doom Patrol exibiu um episódio focado em Crazy Jane, no qual foi possível entender como ela ficou dessa forma. Após ter sido abusada pelo pai na infância, Challis desenvolve diferentes personalidades para conseguir se proteger e sobreviver ao trauma. Sua mente é como um metrô e possui um condutor, Driver 8, que passa o comando para as outras personalidades quando necessário.

Reprodução/DC Universe

A atriz explicou as partes em que se identifica com Crazy Jane em um nível pessoal: “Eu gosto de interpretar um personagem assim porque eu também lido com problemas de saúde mental e sofro de depressão. Já estive naquele ponto em você está tão cansada de não saber como lidar com todas as emoções ao mesmo tempo, que encontra pequenas alternativas”, comentou.

Se Jane precisa usar força física, Hammerhead toma conta; se precisa ir a algum lugar distante, Flit e seu poder de teletransporte entram em cena; quando precisa de armas, Silver Tongue usa algumas palavras afiadas para conseguir; e se o objetivo é a destruição total, Sun Daddy faz o serviço. É dessa forma que Crazy Jane consegue não apenas sobreviver mas também ajudar os outros membros da Doom Patrol.

Reprodução/DC Universe

Guerrero tem duas personalidades de que gosta mais: Dr. Harrison e Baby Doll. Sobre a primeira, ela disse: “Gosto de seu poder de persuasão, de falar com alguém sobre suas fraquezas e então usar psicologia reversa; eu gosto porque ela é calma e usa apenas palavras”; já sobre a segunda: “É interessante contatar sua garotinha interior. Lembro de fazer vários exercícios assim quando estava estudando, quando precisava encontrar minha vulnerabilidade.”.

A atriz complementa sobre a necessidade de se falar sobre saúde mental: “Não falamos muito sobre saúde mental e o que isso faz com as pessoas. Essa personagem coloca o foco nisso e acho que é muito especial”. Para ela, isso é parte de Doom Patrol: “Eles estão trabalhando com seu passado e seu futuro ao mesmo tempo. Essa é a parte que falta e que temos agora, pois não costumamos ver pessoas lidando com seus problemas”.

Este texto foi escrito por Carolina Bernardi via nexperts.

Assuntos
Bastidores, DC, Quadrinhos/HQs, Elenco

Leia Mais

Deixe seu comentário