Escândalo de compra de vagas em universidades atinge estrelas de Hollywood

  • por Minha Série em 14/03/2019 - 18:27

Nos últimos dias, foi revelado um esquema milionário de fraude e compra de vagas em universidades de elite dos Estados Unidos. Uma lista com mais de 50 envolvidos foi divulgada, e entre os nomes estavam as atrizes Felicity Huffman, conhecida pela série Desperate Housewives e indicada ao Oscar pelo filme Transamerica, e Lori Loughlin, estrela das séries Full House e Fuller House.

O esquema está sendo investigado pelo FBI e envolve instituições renomadas, como Yale, Stanford, Universidade do Sul da Califórnia e Georgetown. O facilitador era William Singer, que tinha uma empresa de consultoria de admissões universitárias. Os interessados pagavam milhares de dólares para que ele falsificasse referências, ajudasse a trapacear em testes como SAT e subornasse treinadores de equipes esportivas para facilitar a entradas em universidades prestigiadas.

Reprodução/Matt Winkelmeyer/Donato Sardella/Getty Images

Huffman teria pago US$ 15 mil para que alguém corrigisse a prova de SAT de sua filha. Já Loughlin e seu marido, o estilista Mossimo Giannulli, teriam pago cerca de US$ 500 mil para que suas duas filhas fossem aceitas como atletas do time de remo, sendo que nenhuma delas pratica o esporte.

Os pagamentos eram feitos através da The Key Worldwide Foundation, uma falsa organização de caridade dirigida por Singer, usada para lavar o dinheiro e realizar as atividades criminosas. Isso pode dificultar ainda mais a vida dos envolvidos, pois doações podem ser deduzidas do imposto de renda, o que pode fazer o caso ser considerado evasão fiscal.

As atrizes e o estilista foram indiciados, presos e soltos após pagarem fiança e entregarem seus passaportes às autoridades. Curiosamente, o marido de Huffman, o também ator William H. Macy, conhecido pela série Shameless, não foi indiciado nem preso, apesar de ser mencionado no caso como esposo da estrela.

Reprodução/Axelle/Bauer-Griffin/FilmMagic file

Uma das filhas de Loughlin beneficiadas pelo esquema é a youtuber Olivia Jade, que faz vídeos sobre moda e maquiagem. Há algum tempo, ela teria gravado sobre sua vida universitária, dizendo que não ligava muito para as aulas, o que gerou uma revolta ainda maior. O caso fez que ela perdesse uma parceria com a gigante dos cosméticos, Sephora.

As universidades envolvidas estão fazendo investigações internas e aguardando o desenrolar da história para tomar decisões. Ainda não existe confirmação se os estudantes beneficiados serão expulsos ou se poderão permanecer, já que muitos não sabiam das atividades ilegais dos pais.

Este texto foi escrito por Carolina Bernardi via nexperts.

Assuntos
Celebridades

Leia Mais

Deixe seu comentário