Vingadores: Guerra Infinita é o filme que os fãs da Marvel esperavam (crítica sem spoiler)

  • por Guilherme Haas em 26/04/2018 - 06:15

Vingadores: Guerra Infinita é o filme definitivo de super-heróis dos quadrinhos nos cinemas.

A produção, uma das obras mais aguardadas de todos os tempos e destinada a fazer muito sucesso nas bilheterias, reúne os personagens mais populares e queridos pelos fãs e resgata também os 10 anos de história da Marvel e seu Universo Cinematográfico.

A batalha contra Thanos convoca os Vingadores, os Guardiões da Galáxia e todos os seus aliados para a ação, quando a existência de parte do Universo é ameaçada pelo vilão em posse das Joias do Infinito.

Enquanto os heróis correm para impedir que o Titã Louco consiga colocar as mãos em todos esses poderosos artefatos cósmicos (e dispô-los em sua Manopla do Infinito), novas dinâmicas e parcerias são formadas entre as equipes – com personagens se encontrando e se conhecendo pela primeira vez.

Thanos, o Titã Louco, está atrás das Joias do Infinito em Vingadores: Guerra Infinita.

Essa grande reunião de super-heróis era muito esperada pelos fãs, e Guerra Infinita não decepciona. Os diretores Anthony e Joe Russo são extremamente habilidosos na tarefa de equilibrar tantas figuras na trama e dar tempo de tela para cada um dos personagens sem perder o foco de sua narrativa.

Mais do que isso, a direção e o roteiro conseguem realizar uma construção orgânica e natural para a soma das diversas partes do Universo Marvel, por mais diferentes que sejam as características, os estilos e as personalidades dos heróis e seus grupos.

Como prova da fina sintonia da engrenagem da Marvel, é possível ver, em Guerra Infinita, traços e influências de obras como Thor: Ragnarok e Guardiões da Galáxia, na maneira como incorpora o humor dos personagens em respeito às identidades estabelecidas previamente pelos filmes individuais.

Similarmente, Infinity War tem uma variação de tom quase inacreditável. Por um lado, este é um dos longas mais bem humorados da Marvel, com diálogos hilariantes (especialmente pelas interações inéditas e novos encontros) e sequências divertidíssimas mesclando humor e ação. Por outro, a trama tem um atenuante dramático que não víamos antes nas produções do estúdio – e, vale dizer, tudo isso funciona porque os atores entregam suas melhores performances nesse filme.

Muito se comenta também sobre as surpresas que Vingadores: Guerra Infinita reservou para os fãs, inclusive com a Marvel pedindo aos espectadores que mantenham sigilo sobre os spoilers da narrativa. E é verdade: o público certamente não poderia esperar por esses eventos, e é melhor evitar qualquer informação que possa estragar a experiência.

O que não parece justo são as críticas de que o filme seja apenas uma primeira parte de uma narrativa maior que será concluída em Vingadores 4. Sim, a história terá continuidade, mas Guerra Infinita é uma obra fechada, com uma jornada bem definida e objetivos alcançados.

Os irmãos Russo construíram com Infinity War uma obra-prima épica, surpreendente e espetacular, com um controle absurdo sobre as múltiplas peças que tinham à disposição em seu tabuleiro. O resultado é insano, ousado, corajoso e extremamente prazeroso de se ver – exatamente ou ainda mais do que os fãs poderiam querer!

Leia também:

O site Minha Série está agora também no Instagram! Siga nosso perfil e convide seus amigos para conhecer os conteúdos exclusivos, com destaques, curiosidades e outras brincadeiras sobre o mundo das séries.

Assuntos
Cinema: Estreias no Brasil, Especiais, Cinema, Cinema: Crítica, Marvel, Quadrinhos/HQs

Leia Mais

Deixe seu comentário